Português (Brasil)

Página inicial / Notícias / Calculadora para a construção de cenários de energia em 2050 ganha versão brasileira

Calculadora para a construção de cenários de energia em 2050 ganha versão brasileira


10/04/2017, 16:20:21

A ‘Calculadora 2050’ foi apresentada na Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em evento que introduz a versão brasileira do projeto. Foram apontados, também, os principais programas de eficiência energética existentes no país para discussão sobre o papel desses programas nos cenários de longo prazo. Para tanto, houve debate sobre as possibilidades de atuação governamental e privada para que esforços sejam unificados, tendo em vista o atingimento das metas na redução da emissão de gases de efeito estufa. A conferência contou com a presença da representante do ministério britânico de Negócios, Energia e Estratégia Industrial, Laura Aylett; do cônsul-geral adjunto britânico do Rio de Janeiro, Kal Bruce-Jaja; e do diretor da EPE, Ricardo Gorini.

 A ‘Calculadora Global 2050’ é uma ferramenta online simples e transparente, lançada pelo Reino Unido no início de 2015 para respaldar e fomentar a discussão que antecedeu a assinatura do Acordo de Paris - tratado internacional assinado em dezembro de 2015 por 195 países, prevendo metas conjuntas na busca pela redução do aquecimento global. O objetivo da calculadora é dar suporte ao desenvolvimento econômico mundial e, ao mesmo tempo, combater o impacto causado pelas mudanças climáticas. Durante o evento foi apresentado como ela pode calcular o potencial energético e seus impactos em segurança, fontes de energia e emissão de gases de efeito estufa.

 “Cada nação tem desafios e riscos ambientais distintos que precisam ser levados em consideração para a construção de cenários. No Reino Unido, por exemplo, o aquecimento global torna o país mais suscetível a inundações, que podem causar sérios transtornos em serviços básicos de atendimento à população e danos a propriedades”, explica Kal Bruce-Jaja. “Por isso, a eficácia da ferramenta na abordagem e proposição de metas para o setor energético levou países como Colômbia, China e África do Sul, a fazerem adaptações para as suas particularidades. Agora é a vez do Brasil”, comemora o diplomata.

Reino Unido e Brasil são signatários do Acordo de Paris, sendo a colaboração mútua no setor de energia de longa data. Desde 2006 os países possuem um memorando próprio para a cooperação, incluindo tecnologias eficientes e fontes renováveis. Nos últimos três anos, diversas empresas britânicas com expertise no setor se instalaram no país. Dessa forma, a apresentação da versão brasileira da ‘Calculadora 2050’ desenvolvida por meio da EPE e da COPPE/UFRJ, com suporte da Embaixada Britânica no Brasil, se mostra muito relevante para o fortalecimento dessa parceria e sua inserção no cenário energético mundial.

A ferramenta pode ser acessada clicando aqui


  • IBICT
  • MCTI
  • Ciencia sem Fronteiras
  • Foreign & Commonwealth Office
  • Universities UK
  • International Unit
  • British Council
Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - IBICT

Setor de Autarquias Sul (SAUS), Quadra 05 Lote 06 Bloco H Cep: 70070-912
Plano Piloto - DF, Brasil